Musculação, Artigos Científicos, Cursos, Eventos e Video-aulas
PESQUISAR:

  PROCURAR


Atualização em Exercícios Resistidos:
Segurança Músculo-Esquelética

Artigo publicado originalmente em novembro de 1998


Dr. José Maria Santarem *

Vimos anteriormente que os exercícios com pesos são os mais eficientes para induzir modificações na composição corporal favoráveis ao desempenho físico e à saúde. A massa óssea tende a aumentar devido à sobrecarga de pressão nos ossos, a massa muscular também tende a aumentar devido basicamente à sobrecarga de tensão nos músculos esqueléticos, e a massa adiposa tende a diminuir, em função do aumento do gasto calórico e da taxa metabólica basal. Vimos também que estas adaptações ao treinamento são importantes como profilaxia de diversas doenças, e acompanham o aprimoramento de várias qualidades de aptidão física, principalmente força e flexibilidade, principais determinantes da qualidade de vida para pessoas idosas.

Não apenas a documentação atual dos efeitos saudáveis dos exercícios com pesos, mas também a de sua segurança, tem justificado a proposta de sua indicação para pessoas debilitadas e grupos especiais como idosos, adolescentes, reumáticos, diabéticos, obesos, cardiopatas e pneumopatas. Os trabalhos que estudaram estas situações ainda não tiveram o efeito de modificar condutas clássicas, mas os resultados positivos sugerem que isto seja apenas uma questão de tempo.

A incidência de lesões nos exercícios com pesos bem orientados tem sido muito baixa em diversos estudos, mesmo com crianças pré-púberes e idosos. Também não há evidências de alterações prejudiciais ao crescimento longitudinal dos ossos e a incidência de artrose parece ser a mesma da observada entre sedentários, o mesmo ocorrendo com a hérnia de disco lombar. A segurança músculo-esquelética se deve à ausência dos principais fatores indutores de lesões na atividade física. O controle total que se tem desses fatores nos exercícios com pesos justifica a sua utilização terapêutica clássica, cabendo a designação de "Exercícios Controlados". Analisemos os principais fatores indutores de lesões na atividade física:

  - CARGAS - Os exercícios com pesos evidentemente podem ser realizados com grandes cargas, explicando o receio de sua indicação para grupos especiais por parte de profissionais não afeitos às técnicas de treinamento com pesos. A grande qualidade dos pesos e de outras formas de resistência aos movimentos é a possibilidade de sua graduação adequada para cada caso. Pessoas que não conseguem ficar em pé e andar fazem no leito exercícios com pesos, com cargas mais leves do que o peso do corpo. Cargas perigosas para o sistema músculo-esquelético são as que induzem falhas técnicas na biomecânica dos movimentos, êrro grosseiro facilmente identificado pelos treinadores. Assim sendo, as cargas nos exercícios com pesos bem orientados constituem um fator trófico, estimulante de adaptações de fortalecimento nos ossos, músculos, tendões, cápsulas, ligamentos e cartilagens articulares.
  - AMPLITUDES - Nos exercícios em geral, as amplitudes excessivas podem levar à lesões graves de dificil cura, geralmente distensões de ligamentos e cápsulas articulares. Além disto, pessoas com processos degenerativos nas articulações são particularmente vulneráveis à amplitudes excessivas. Nos exercícios com pesos as amplitudes são facilmente adaptadas para os limites de tolerância individuais. Em casos extremos, apenas pequenos graus de movimento ocorrem. Caso o fator limitante seja reversível, lenta evolução de amplitude vai ocorrendo naturalmente pela ação dos pesos, desde que se permita forçar um pouco os limites dos movimentos.
  - VELOCIDADE - Acelerações e desacelerações dos movimentos são mecanismos comuns de lesão muscular e tendinosa em muitas atividades físicas, até mesmo em despretenciosos jogos com bola. Nos exercícios com pesos os movimentos têm velocidade cadenciada, sem acelerações ou desacelerações bruscas. Não ocorrem movimentos explosivos ou violentos.
  - DIREÇÃO - A mudança do direcionamento dos movimentos constitui outro fator de lesão presente nas atividades esportivas comuns. As torções articulares por mudança de direção dos movimentos podem precipitar lesões como distensões capsulares e ligamentares, desarranjos internos do joelho e ombro, além de hérnias de disco inter-vertebral. Nos exercícios com pesos não ocorrem torções articulares.
  - IMPACTO - A ocorrência súbta e repetida de carga nas articulações caracteriza o impacto, fator desencadeante de tendinites, entorses e provavelmente de micro-lesões nas cartilagens. Nos exercícios com pesos as cargas atuam lentamente, sem impacto.
  - REPETIÇÕES - Os movimentos excessivamente repetidos podem levar à graves tendinites em esportes e no trabalho. Nos exercícios com pesos os movimentos são pouco repetidos, e sempre com intervalos adequados para descanso e recuperação. A ocorrência de tendinites em atletas treinados com pesos leva à suspeita de excesso de treinamento.
  - TRAUMA DIRETO E QUEDAS - Esses são importantes fatores de lesão nos esportes em geral, que no entanto estão absolutamente ausentes no treinamento com pesos, onde não há contato entre praticantes e não há risco de desequilíbrio do corpo.

Vemos portanto que do ponto de vista da segurança músculo-esquelética não há razão para contra-indicar os exercícios com pesos pelo temor de lesões, mesmo para pessoas debilitadas. A segurança cardio-vascular será analizada a seguir.

 * José Maria Santarem (CRM-SP 25.651) é doutor em medicina pela Universidade de São Paulo, fisiatra e reumatologista pela Associação Médica Brasileira, consultor científico da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, diretor do Instituto Biodelta e coordenador do site acadêmico www.treinamentoresistido.com.br.

publicidade
publicidade