Musculação, Artigos Científicos, Cursos, Eventos e Video-aulas
PESQUISAR:

  PROCURAR


Eficiência e Segurança

Informativo 18

Dr. José Maria Santarem *

Um dos aspectos envolvidos no conceito de qualidade de vida é a capacidade de realizar confortavelmente os esforços da vida diária, do trabalho e do lazer. Pessoas sedentárias
apresentam perda progressiva da aptidão física e com a idade mais avançada, até mesmo pequenos esforços como o caminhar podem tornar-se desconfortáveis ou impossíveis. O
envelhecimento também leva a processos de desgaste e enfraquecimento dos ossos, músculos e articulações, o que pode produzir dores.

Os melhores exercícios para fortalecer os ossos e os músculos são os exercícios resistidos, geralmente realizados com pesos graduáveis, cuja prática é hoje conhecida como musculação. Com esses exercícios as pessoas conseguem estabilizar a coluna e as articulações, melhorando ou eliminando dores. A força, a resistência e a flexibilidade estimuladas pela musculação permitem voltar a realizar com conforto e segurança atividades comuns da vida diária. A intervenção isolada que mais evita quedas em idosos é a musculação. As evidências científicas atuais demonstram que a musculação também contribui para promover saúde cardiovascular, ajudando a tratar a obesidade, o diabetes e a hipertensão arterial. Os exercícios resistidos foram identificados como os mais eficientes para diminuir o estado inflamatório do organismo que leva à aterosclerose e ao câncer.

Uma noção importante é que não existem exercícios que consigam associar eficiência e segurança melhor do que a musculação. Os exercícios resistidos são os mais adequados para
pessoas sedentárias ou debilitadas, podendo ser adaptados para qualquer condição física. Todos os fatores de sobrecarga estão sob controle na musculação: posição do corpo, direção e amplitude dos movimentos, carga e grau de esforço, além dos intervalos de descanso e da quantidade de exercícios. Por essas razões a musculação é ferramenta clássica da fisioterapia e da reabilitação. Não é correta a suposição de que a musculação é inadequada na presença de doenças, sendo uma atividade de academia restrita a pessoas jovens.

Pessoas que não conseguem sequer caminhar geralmente conseguem e devem realizar exercícios de musculação. A musculação só não pode ser praticada nos raros casos em que existem contraindicações para qualquer tipo de atividade física. Os pequenos aumentos de freqüência cardíaca e respiratória durante os exercícios garantem segurança e conforto para pessoas com doenças cardíacas e pulmonares. O conceito correto é que a musculação é uma atividade muito segura e confortável mesmo na presença de doenças crônicas, sendo o exercício mais eficiente para melhorar a qualidade de vida de todas as pessoas e promover saúde geral.

* José Maria Santarem (CRM-SP 25.651) é doutor em medicina pela Universidade de São Paulo, fisiatra e reumatologista pela Associação Médica Brasileira, consultor científico da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, diretor do Instituto Biodelta e coordenador do site acadêmico www.treinamentoresistido.com.br.

publicidade
publicidade