O exercício aeróbico altera as respostas moleculares do músculo esquelético ao exercício de resistência.

Exercícios aeróbios atrapalham a hipertrofia?

Exercícios aeróbios atrapalham a hipertrofia?
Lundberg, R. T. et al. Aerobic exercise alters skeletal muscle molecular responses to resistance exercise.
Med. Sci. Sports Exerc. 2012 Sep;44(9):1680-8.



COMENTÁRIO: PROF. DR. NEWTON NUNES*

Será que o treinamento físico aeróbio prejudica a hipertrofia muscular ? Lundberg et al. (2012) estudaram o efeito de uma sessão de exercício físico aeróbio por 45 minutos no ciclo ergômetro com apenas 1 perna e após 6 horas os voluntários realizaram o treinamento resistido com as 2 pernas (4 séries com 7 repetições até a falha concêntrica).

Portanto, 1 perna treinou aeróbio e resistido (TA + TR) e a outra perna apenas o treino resistido (TR). Foi observado valores mais elevados do VEGF (fator de crescimento vascular endotelial) mais elevado na perna do treino aeróbio e resistido (TA + TR) comparada perna do TR. Resultado semelhante foi encontrado no PGC 1 alfa também (responsável pelo metabolismo oxidativo celular).

O treinamento físico aeróbio (após 15 minutos) manteve os níveis da miostatina, contudo, na perna que realizou apenas o treinamento resistido, os níveis de miostatina estavam reduzidos após 15 minutos e também após 3 horas da sessão. (fato aliás que potencializaria a hipertrofia muscular)

com relação a via mTor, o treinamento aeróbio não prejudicou esta via de síntese proteica após 15 minutos do exercício físico, mostrando que se existir um intervalo de no mínimo 15 a 20 minutos entre o treino aeróbio para o resistido, pode não existir diferença nos níveis da via mTor.

Contudo, em termos práticos, recomenda-se realizar um intervalo entre os treinos de pelo menos 20 minutos e, certamente deve-se priorizar o objetivo do cliente. Se o objetivo for hipertrofia, este deve ser o Método a ser enfatizado. Se o objetivo for treinamento de resistência (corrida, ciclismo de longa duração) este deve ser o Método priorizado.

O treino aeróbio e resistido são fundamentais na construção e manutenção da saúde e qualidade vida. No caso de atletas, deve-se priorizar o esporte em questão.

COMENTÁRIO: Prof. Dr. José Maria Santarem*

Não há dúvida que um bom condicionamento físico geral exige a prática de exercícios aeróbios associados aos resistidos. No entanto algumas evidências sugerem que os exercícios resistidos isoladamente podem ser suficientes para estimular a saúde geral, diminuindo a mortalidade.

Outro aspecto é a que a aptidão para os esforços da vida diária (funcionalidade) é melhor estimulada pelos exercícios resistidos.

Metodologia, tabelas, gráficos e bibliografia encontram-se no artigo original.

Prof. Dr. Newton Nunes*

Prof. Dr. no Instituto do Coracao de SP desde 1994.
Prof. Dr. pelo Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da USP desde 1994. Mestrado e Doutorado pela USP.
Criador do site : www.areadetreino.com.br
Youtube: Área de Treino
Autor do Livro: Avaliação Cardiopulmonar e Treinamento Físico


Prof. Dr. José Maria Santarem*

Doutor em medicina pela Universidade de São Paulo, fisiatra e reumatologista pela Associação Médica Brasileira, consultor científico da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, diretor do Instituto Biodelta e coordenador do site acadêmico www.treinamentoresistido.com.br.