Cargas e Repetições

Dr. José Maria Santarem

O número de repetições nos exercícios resistidos é o fator a ser manipulado para adequar o treinamento a diferentes objetivos. As repetições entre 6 e 12 são as mais utilizadas em musculação para as séries pesadas, sem contar repetições mais altas eventualmente utilizadas nas séries de aquecimento. Esse número de repetições é classicamente considerado “treinamento para hipertrofia”, por ser a que mais estimula o aumento do volume muscular.

No entanto, a força e a resistência muscular são altamente estimuladas com essa faixa de repetições. Repetições entre 1 e 5 são as mais eficientes para estimular o aumento da força muscular. Com essa faixa de repetições ocorre considerável hipertrofia, e também o melhor estímulo para o aprimoramento da capacidade de recrutamento de fibras para ação conjunta.

Esse último aspecto é uma forma de coordenação neuromuscular, e explica o aumento rápido da força nas fases iniciais do treinamento, quando a hipertrofia ainda não se manifestou de forma significante. A faixa de repetições entre 15 e 25 é a mais utilizada para estimular o desenvolvimento de resistência muscular. O chamado treinamento de força, com repetições baixas, e o treinamento de resistência, com repetições altas, são abordagens utilizadas no treinamento resistido aplicado a atletas e esportistas com o objetivo de otimizar desempenho.

No entanto, o treinamento para hipertrofia, com repetições entre 6 e 12, além de ser o mais eficiente para promoção de saúde, qualidade de vida, reabilitação e estética, também é muito útil para melhorar o desempenho esportivo.

A faixa de repetições utilizada em treinamento guarda proporcionalidade com o porcentual de carga máxima. Um procedimento comum em pesquisa científica, mas de pouca utilidade prática, é realizar testes de carga máxima nos exercícios resistidos. Nesses testes determina-se a quantidade de peso que pode ser utilizada para realizar uma única repetição do exercício, de maneira correta. O resultado é referido como 1 RM (uma repetição máxima). Uma das maneiras de determinar a carga de treino é utilizar o peso correspondente a um porcentual adequado de 1 RM para cada exercício. Assim sendo, para o objetivo de força máxima são recomendados porcentuais de carga máxima de 85 a 100% da 1 RM; para hipertrofia, de 70 a 85%; e para resistência, de 40 a 60%. No entanto, a utilização de porcentuais de carga máxima não traz qualquer vantagem em relação ao método tradicional de trabalhar com faixas de repetições. O método é trabalhoso, requer repetição periódica, e é psicologicamente estressante para nãoatletas, embora as estatísticas indiquem baixa incidência de lesões.

O procedimento universalmente recomendado é sempre tentar aumentar o número de movimentos com uma determinada carga, dentro da faixa adequada de repetições para os objetivos pretendidos. Quando for possível realizar mais repetições, aumenta-se o peso.

 

* José Maria Santarem é doutor em medicina pela Universidade de São Paulo, fisiatra e reumatologista pela Associação Médica Brasileira, consultor científico da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, coordenador de pós-graduação na Escola de Educação Permanente do HC-FMUSP, diretor do Instituto Biodelta, autor do livro Musculação em Todas as Idades (Ed. Manole) e coordenador do site acadêmico www.treinamentoresistido.com.br.

Connect us

Our social contacts

Social menu is not set. You need to create menu and assign it to Social Menu on Menu Settings.

Preencha seu e-mail se quiser ser avisado sempre que um novo trabalho comentado for publicado!