Musculação e Corrida

Dr. José Maria Santarem*

Os exercícios resistidos são geralmente realizados com pesos e popularmente conhecidos como musculação, devido a um de seus efeitos mais evidentes: estímulo ao aumento da massa muscular. Na área do treinamento esportivo, a musculação é conhecida como treinamento de força, importante de todas as modalidades, embora outras qualidades de aptidão também sejam aprimoradas.

Além do aumento de força, da resistência e da coordenação, ocorre rápido aumento da flexibilidade das articulações, principalmente nas pessoas sedentárias. A qualidade de vida das pessoas idosas e sedentárias melhora muito com a prática da musculação. Atualmente se reconhecem importantes efeitos da musculação para a saúde do coração e dos vasos sanguíneos, embora a aptidão cardiovascular seja melhor estimulada por exercícios contínuos, com manutenção de frequência cardíaca em zona alvo de treinamento.

Os corredores podem ter importantes benefícios para a prática da musculação. Na área da saúde, a corrida já constitui um estímulo eficiente para a promoção de saúde e aptidão cardiovasculares, além de estimular o controle do tecido adiposo e fortalecer os ossos. Mas se a corrida for praticada com intensidades baixas de esforço, o estímulo para o aumento da massa muscular será muito pequeno. Corrida suave não consegue evitar a perda de massa muscular que acompanha o envelhecimento. A prática da musculação pode evitar ou diminuir a perda progressiva de massa muscular nas pessoas que estão envelhecendo. O aumento da força muscular promovido pela musculação é um fator de proteção articular, importante para os praticantes de corrida, atividade que impõe grandes sobrecargas ao aparelho locomotor.

No aspecto do desempenho, a musculação também é importante para os corredores. A potência muscular aumenta paralelamente ao aumento da força, permitindo acelerações maiores e manutenção de velocidade nos aclives do percurso. O limiar anaeróbio também aumenta paralelamente ao aumento da força muscular. Um corredor mais forte, portanto com limiar anaeróbio mais alto, consegue correr mais rápido aerobiamente, protelando a fadiga. Considerando dois corredores com o mesmo peso e o mesmo VO2 máximo, correndo na mesma velocidade, o mais forte terá maior limiar anaeróbio e poderá correr aerobiamente em velocidades em que o mais fraco ja apresenta metabolismo anaeróbio.

 

* José Maria Santarem é doutor em medicina pela Universidade de São Paulo, fisiatra e reumatologista pela Associação Médica Brasileira, consultor científico da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, coordenador de pós-graduação na Escola de Educação Permanente do HC-FMUSP, diretor do Instituto Biodelta, autor do livro Musculação em Todas as Idades (Ed. Manole) e coordenador do site acadêmico www.treinamentoresistido.com.br.

Connect us

Our social contacts

Social menu is not set. You need to create menu and assign it to Social Menu on Menu Settings.

Preencha seu e-mail se quiser ser avisado sempre que um novo trabalho comentado for publicado!